CPVI - Centro de Pesquisa da Visão Integrativa

Tel: (11) 3256 3368

E-mail: cpvi@cpvi.com.br

Quinta, 18 de Dezembro de 2014 - Bom dia!
Óculos / Lentes
Acupuntura
Artigos Diversos
Baixa Visão
Cirurgias Oculares
Dependências
Editorial
Espiritualidade
Exercícios Oculares
Funções dos olhos
Homeopatia
Iridologia
Medicina psicossomática
Palestras
Qualidade de Vida
Vídeos
Eventos
Links
Depoimentos
Faça sua adesão na CPVI

Exercícios Oculares

Como melhorar a capacidade da visão

O terapeuta americano Meir Shneider, de 46 anos, criou um método próprio e eficaz de exercícios para reduzir deficiências visuais. Conhecido como Self-healing, o tratamento reúne exercícios de respiração da ioga, massagens, movimentos ativos e passivos da musculatura dos olhos e visualizações.

Meir criou o método self-healing a partir de experiências com exercícios visuais do oftalmologista americano William Bates, do século XIX, numa tentativa obstinada de vencer a cegueira. Ele nasceu com catarata congênita, mal que hoje afeta também seus dois filhos, fez cinco cirurgias malsucedidas e foi dado oficialmente como cego aos 7 anos.

Na adolescência, conheceu um rapaz que obteve uma melhora surpreendente na visão com os exercícios de Bates e decicou-se a eles intensamente. Conseguiu ver efetivamente aos 17 anos e hoje tem até carteira de motorista sem restrições em Los Angeles, na Califórnia, onde leciona e forma terapeutas visuais há 29 anos. Nesse período, Meir constatou a melhora visual de cerca de dois mil pacientes. Os filhos de Meir, que cresceram com os exercícios alcançaram considerável melhora visual e estão livres da cegueira que afligiu o pai na infância.

A influência do estresse nas deficiências visuais:

Schneider citou as pesquisas do oftalmologista William Bates para reafirmar que as pessoas vêem basicamente com a mente e apenas uma pequena parte com os olhos.

- Bates comprovou que, exceto casos de origem genética ou causados por lesões, todos os problemas visuais são causados por extresse mental - disse Meir ao GLOBO, por telefone, de Los Angeles, antes de embarcarpara o Brasil.

As pesquisas constatam que é possível produzir por exemplo, graus de miopia em qualquer um que se estresse para ver algo à distância ou que evite ver, com medo de constatar uma deficiência.

- Bates diz que as crianças se tornam miopes nas escolas quando se estressam, por exemplo, para ler o que está escrito no quadro-negro. Ficam ansiosas com sua performance, o que dificulta ainda mais a visão. A postura corporal também as empurra à miopia. Os ombros se contraem e se inclinam para frente provocando um colapso respiratório e constrações da musculatura do pescoço e dificultando a circulação do sangue no cérebro e nos olhos.

Meir fará sessões de exercícios com brasileiros, entre eles o menino João Hossell, de 7 anos, que eliminou com a terapia a miopia de dois graus do olho direito e reduziu de 12 para 10,5 a do olho esquerdo. O oftalmologista Orlando Abdo, da Clínica de Olhos São Vicente, confirmou o fim da miopia do olho direito de seu paciente.

- Esses dois graus provavelmente foram provocados por espasmos da musculatura ciliar. Houve redução nos dois olhos, mas a miopia do olho esquerdo não reduzirá mais.

Meir fará uma palestra gratuita em São Paulo, amanhã (7 de maio), e de 8 a 11, quatro workshops (self-healing) massagem regenerativa, prevenção à LER, a lesão por esforço repetitivo e terapia visual). No Rio, dará cursos e palestras no fim de julho.

Exercícios para reduzir deficiências:

RELAXAMENTO: O relaxamento da mente e damusculatura ocular é fundamental para melhorar qualquer deficiência visual. Os olhos são órgãos, que trabalham cerca de 17 horas por dia e, mesmo durante o sono, se movem e o nervo ótico é estimulado. Um exercício que relaxa a musculatura dos olhos é a escuridão. Durante o dia, eles relaxam com alguns minutos de escuridão proporcionados pelas palmas das mãos, rapidamente aquecidas uma na outra, sobre os olhos. O exercício chama-se palming e é eficaz para a maioria das deficiências, especialmente para a conhecida vista cansada, que afeta pessoas de meia-idade.

LUZ: Os exercícios de luz como olhar o sol de olhos fechados por alguns minutos, atuam na abertura e no fechamento da pupila e, conseqüentemente, trabalham a musculatura interna dos olhos e estimulam as células da retina.

FLEXIBILIDADE: Exercícios como piscar os olhos rapidamente e brincadeiras lúdicas como ver de longe e ver de perto aumentam a flexibilidade da musculatura ótica.

VISÃO PERIFÉRICA: Exercícios que estimulam a visão periférica, com o paciente olhando fixamente para frente e o terapeuta estimulando sua visão lateral com lanternas, por exemplo, melhoram a visão noturna enquanto descansam a visão central.

ANDAR DE COSTAS: O método usa procedimentos para quebrar padrões psíquicos e corporais. Andar ou correr de costas, por exemplo, cria um padrão com o qual o cérebro não está acostumado, anulando alguns efeitos da marcha. Os olhos e o corpo relaxam com esse novo padrão.

VISUALIZAÇÃO: Como estresse visual é também mental, visualizações de cenas relaxantes melhoram a visão.

Fonte: Paraná-Online